quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Grupo Key Club - Grupo Halcon



O GRUPO KEY CLUB
________________



Key Club

Key Club Travel

Key Club Holidays

__________________________________

O "Grupo Key Club" era constituído por um conjunto de empresas independentes que actuavam na área das Viagens e dos Serviços, nomeadamente:

1 - O Key Club - Clube de Férias e Serviços;

2 - O Key Club Travel - na Área das Viagens;

3 - O Key Club Holidays - na Gestão Hoteleira;

4 - O Key Prestige - Marketing Directo - na Prestação de Serviços.


Todo o processo, segundo o "KEY CLUB", era liderado pela PALMESociedade Gestora de Participações Sociais.

Os Contratos celebrados com a Palme II, S.A. (Key Club) previam o acesso a diversos Serviços prestados por estas empresas pertencentes ao Grupo Palme, por meio da utilização do Cartão Key Club.

Após a sentença de declaração de insolência da Palme II, S.A. e da Palme Viagens e Turismo, S.A., em Setembro de 2008, verificou-se a dispersão do Grupo Key Club, tendo o "Key Club" deixado de prestar informação periódica acerca das iniciativas por parte do Grupo Key Club. Em vez disso, tenta "inpingir" aos seus Sócios a aquisição de mais um Cartão de férias - o CARTÃO HALCON.

Deste modo, o cumprimento das obrigações contratuais, por parte da Palme II, S.A., ficou gravemente comprometido, devido à manifesta incapacidade Técnica e Financeira.

Na realidade, quando analisamos as cláusulas dos Contratos celebrados com o Key Club, verificamos que o "Key Club" encontra-se em situação de incumprimento contratual no que respeita a várias cáusulas dos Contratos.

HALCON VIAGENS que teve a pretensão de substituir a Palme Viagens e Turismo, S.A., não cumpre com as obrigações a que a Palme II, S.A. se tinha obrigado em representação do Grupo Key Club.  Sabemos que o modo de operar da empresa Halcon Viagens é totalmente diferente do modo de operar da Palme Viagens e Turismo, S.A., a qual era responsável pela prestação de grande parte dos Serviços aos Sócios do Key Club.

Há algo que o "Key Club" está a querer misturar, como se fossem coisas iguais:

  • Empresas pertencentes ao GRUPO PALME, às quais a Palme II estava autorizada a ceder os dados pessoais dos Sócios do Key Club, para efeitos de publicidade;

  • Parcerias do "Key Club", sendo empresas externas ao Grupo Palme, nas quais os Sócios Key Club tinham acesso a descontos previamente acordados, mas às quais a Palme II não tinha qualquer autorização para transmitir os dados pessoais dos seus Associados, sob pena de violação da Lei de Protecção dos Dados Pessoais.

As empresas HALCON VIAGENS e  EMVIAGEM não pertecencem ao Grupo Palme, mas são apenas "Parceiras". 

Palme II violou o que se encontra estatuido na 35.ª cláusula dos Contratos de Associação "Premium", ao transmitir, sem a expressa autorização dos seus Associados, os dados pessoais dos Sócios Key Club, a estas duas empresas, visto que não pertencem ao GRUPO PALME.



A referida cláusula diz o seguinte:

«O Titular do Cartão Key Club Premium autoriza expressamente as empresas do GRUPO PALME, e para seu uso exclusivo, a proceder ao tratamento informático dos dados pessoais recolhidos que se destinam ao processamento administrativo futuro para divulgação de bens e serviços comercializados

As empresas do GRUPO PALME eram as seguintes:

  • PALME - SGPS., S.A.
  • PALME - VIAGENS E TURISMO, S.A.
  • PALME - HOTÉIS, S.A.
  • PALME - COMERCIALIZAÇÃO DE CARTÕES DE DESCONTO, S.A.
  • KEY PRESTIGE - MARKETING DIRECTO, UNIPESSOAL, LDA.

No âmbito do "Contrato de Prestação de Serviços" celebrado entre a Palme II  e a empresa Halcon Viagens, a PALME II cedeu à HALCON VIAGENS o acesso à Base de Dados que contem os dados pessoais de TODOS OS SÓCIOS KEY CLUB , sem a prévia autorização dos Sócios.

Sublinhamos que a HALCON VIAGENS não pertence ao GRUPO PALME, motivo pelo qual a cedência do acesso à Base de Dados dos Sócios Key Club a esta empresa estranha ao Grupo Key Club constitui uma violação dos termos contratuais.

____________________________________________________



33 comentários:

  1. Acho que deveria haver uma manifestação Nacional dos burlados do Key Club para findar de vez com os nossos problemas.

    Paula Cristina Lopes

    ResponderEliminar
  2. Certamente que sim!

    Uma Manifestação Nacional, em frente à portas do Key Club, no Campo Grande, a ver se eles assim ficavam envergonhados e que a Comunicação Social fizesse a cobertura do evento!

    Estes senhores do Key Club, com a conivência da Loja Jurídica, estão a fazer uma luta desleal contra os Sócios do Key Club, por meio de Injunções e Processos Executivos, quando eles mesmos se encontram em falta e em incumprimento contratual!

    Já por diversas vezes os confrontei, por escrito, quer ao Key Club quer à Loja Jurídica, mas a verdade é que eles não querem responder a questões que, pelos motivos óbvios, lhes resultam incómodas!

    Querem exigir o pagamento dos valores das anuidades, mas, ao mesmo tempo, recusam-se a prestar Todos os Serviços que era suposto eles prestarem!

    ResponderEliminar
  3. Olá a todos!

    Estou desesperada à procura de duas testemunhas aqui do Norte. O meu julgamento é já no próximo dia 27 e ainda não tenho 2 testemunhas para me ajudar.
    O meu advogado disse que não pode ser por videoconferência
    O julgamento vai ser em Santa Maria da Feira e estou disposta a pagar as deslocações e almoço, visto ser às 14h.
    Alguém de vós terá disponibilidade, ou conhecerá alguém que me possa ajudar?
    Muito obrigada
    Cristina Bento

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde Crsitina!

    Venho por este meio dar-lhe conhecimento do contacto da Sr.ª Maria da Conceição Reis, a seu pedido: mcreis@live.com.pt

    Cumprimentos,
    João Pereira
    (joao.pereira@estradas.pt)

    ResponderEliminar
  5. Peço desculpas Cristina!
    Cumprimentos,
    João Pereira

    ResponderEliminar
  6. Boa noite Cristina, o seu julgamento é dia 27 e é porque? É que o mais certo é acontecer o que me aconteceu a mim eles desistirem no próprio dia, todas as audiencias do tribunal de Gaia tiveram o mesmo fim, desistencia dos burlões. Mas se precisar tou disponivel, carlitalita@msn.com.
    Cumprimentos
    Carla Costa

    ResponderEliminar
  7. Boa noite Cristina. A minha audiência é à mesma hora, no mesmo local mas um dia antes. Como eu resido muito próximo do tribunal penso que nos poderiamos ajudar mutuamente.
    Contacte-me assim que possível para fjsazevedo@netcabo.pt.
    Aproveito para agradecer ao Sr. João Pereira por ter-me alertado para o seu post aqui no blog.
    Cumprimentos,
    Jorge Azevedo

    ResponderEliminar
  8. Estes senhores fazem o que querem e bem lhes apetece e saem impunes. Fui sócia durante 15 anos, terminei a parceria com o Key Club em Maio de 2011, mas nos últimos anos as coisas não correram muito bem. Sempre tive direito a uma semana em Espanha, a semana de oferta, em 2008 fui de férias e a minha semana não estava paga, paguei do meu bolso, embora fosse reembolsada mais tarde. Em 2009 não utilizei a semana de oferta e em 2010 fui de férias, mas o Key Club recusou-se a pagar a minha semana de oferta. Ok, não pagam a semana eu não pago a anuidade. No momento em que se recusaram a pagar, imediatamente os informei que o nosso contrato ficava cancelado por incumprimento do Key Club, tudo isto estava bem discriminado no contrato. Ainda hoje, não sendo já sócia dessa maldita empresa, recebo cartas e mensagens ameaçadoras. Será que ninguém consegue destruir de vez essa maldita empresa??? Com tantas queixas e burlas não há uma televisão que faça uma boa reportagem???

    ResponderEliminar
  9. Estradas de Portugal à beira da falência
    A empresa Estradas de Portugal (EP) pode ter sérias dificuldades em obter financiamento, em 2013, e corre o risco de ficar financeiramente insustentável em 2014. "Face à actual conjuntura dos mercados financeiros e aos consequentes constrangimentos que a generalidade das empresas enfrenta, para obter financiamento, que já se começam a fazer sentir na EP, e caso não sejam tomadas outras medidas, nomeadamente a intervenção do Estado, a empresa irá enfrentar sérias dificuldades em se financiar em 2013", lê-se num relatório da Inspecção-Geral de Finanças. O relatório reporta-se ao tempo da gestão de Almerindo Marques, ex-presidente da EP. A empresa esclarece que as necessidades de financiamento e evolução da dívida "são as previstas", e que pretende concretizar medidas para resolver o problema. Fonte: Correio da Manhã/Portugal

    ResponderEliminar
  10. Estes senhores fazem o que querem e bem lhes apetece e saem impunes. Fui sócia durante 15 anos, terminei a parceria com o Key Club em Maio de 2011, mas nos últimos anos as coisas não correram muito bem.
    Sempre tive direito a uma semana em Espanha, a semana de oferta, em 2008 fui de férias e a minha semana não estava paga, paguei do meu bolso, embora fosse reembolsada mais tarde.
    Em 2009 não utilizei a semana de oferta e em 2010 fui de férias, mas o Key Club recusou-se a pagar a minha semana de oferta. Ok, não pagam a semana eu não pago a anuidade.
    No momento em que se recusaram a pagar, imediatamente os informei que o nosso contrato ficava cancelado por incumprimento do Key Club, tudo isto estava bem discriminado no contrato.

    Ainda hoje, não sendo já sócia dessa maldita empresa, recebo cartas e mensagens ameaçadoras.

    Será que ninguém consegue destruir de vez essa maldita empresa???
    Com tantas queixas e burlas não há uma televisão que faça uma boa reportagem???

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde,

    No dia 18 deste mês a minha esposa recebeu uma carta de injução, por um contrato que tinha feito em 07/07/2004.

    Dado que se trata de um montante elevado e sem justificação fui procurar uma solução cheguei a este blog daí estar a entrar em contacto convosco, espero sinceramente que não se importem.

    Acontece que denunciou o contrato via fax dentro do prazo legal tendo os promotores ligado a tentar demovê-la. (passados tantos anos perdeu-se o comprovativo e o fax),
    Como não a conseguiram demover, deram-lhe a confirmação de que o contrato se encontrava anulado.
    Ainda assim a minha esposa enviou posteriormente, no dia 27/07/2004, uma carta registada a confirmar essa anulação.

    Entretanto, e por este mesmo assunto acabou por se chatear com a mãe e saiu de casa, tendo ido morar com amigos, nunca mais tendo voltado a residir em casa da mãe, apesar de ter entretanto feito as pazes com ela.

    Pelo que pude obter da minha sogra, nessa altura ela recebeu duas cartas da keyClub, as quais devolveu ao carteiro com a nota "mudou-se para parte incerta".

    e ao que parece o mês passado ou à 2 meses (não me soube precisar) recebeu mais duas cartas dirigidas à minha as quais devolveu ao carteiro com a indicação de que não residia naquela morada.

    Assim o ponto de situação é o seguinte:
    dia 7 de julho de 2004 a minha esposa foi a uma apresentação do KeyClub no "Luna Esperança Centro Hotel", em setúbal, para a qual havia sido convidada sobe a promessa de uma estadia ou viagem (já não se recorda);
    No final dessa apresentação sofreu uma grande pressão para assinar o contrato para obter um cartão KEYCLUB PRESTIGE, que acabou por assinar para que a deixassem em paz;
    passados alguns dias enviou um FAX a denunciar o contrato;
    foi-lhe dada a indicação que o contrato havia sido anulado, e deveria enviar uma carta registada para que a anulação fosse efectivada.
    entre o envio do FAX e o envio da carta registada mudou-se para a casa de amigos devido a uma grande discussão com a mãe.
    Enviou no dia 27 de Julho de 2004 uma carta registada, como o mesmo conteúdo que o FAX anteriormente enviado, a confirmar a denúncia.
    NUNCA RECEBEU QUALQUER CARTÃO;
    NUNCA PAGOU QUALQUER MENSALIDADE;
    NUNCA MAIS FOI CONTACTADA PELA KEY CLUB APESAR DESTES TEREM O CONTACTO TELEFÓNICO DELA (QUE SE MANTEVE);
    no dia 18 de Outubro de 2011 recebe uma carta de injunção a indacar que tem cerca de 6 mil euros em divida;
    no dia 19 dirigiu-se à KEYCLUB para obter toda a documentação afecta ao processo dela;
    O FAX não se encontrava no meio da documentação (extraviou-se propositadamente quer-me parecer);
    Já contactámos o gabinete de apoio ao consumidor do montijo, que tem tentado ajudar-nos dentro das suas possibilidades
    Dados estes pontos, e considerando que fomos pais à 5 meses, a nossa situação financeira acabou por se tornar um pouco mais complexa e dado que existe a possibilidade de ela ficar desempregada a médio/curto prazo... a situação é um pouco desesperante.

    Assim, peço-lhes encarecidamente o vosso conselho e recomendações.

    queremos apresentar oposição à injunção, daí precisarmos de um bom advogado de forma a garantir uma resposta incontestável.

    Moramos no Montijo, podem recomendar um advogado nessa zona, se possível que seja sensível à nossa delicada situação financeira?

    Provavelmente precisaremos de testemunhas.
    têm conhecimento de alguém que esteja ou tenha estado na situação, ou que precise também de testemunhas?

    Conhecem mais alguém que nos possa ajudar?

    Agradeço desde já toda atenção e disponibilidade que tiverem para dar a este assunto

    Luis Castanheira
    spart0@gmail.com

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde,

    No dia 18 deste mês a minha esposa recebeu uma carta de injução, por um contrato que tinha feito em 07/07/2004.

    Dado que se trata de um montante elevado e sem justificação fui procurar uma solução cheguei a este blog daí estar a entrar em contacto convosco, espero sinceramente que não se importem.

    Acontece que denunciou o contrato via fax dentro do prazo legal tendo os promotores ligado a tentar demovê-la. (passados tantos anos perdeu-se o comprovativo e o fax),
    Como não a conseguiram demover, deram-lhe a confirmação de que o contrato se encontrava anulado.
    Ainda assim a minha esposa enviou posteriormente, no dia 27/07/2004, uma carta registada a confirmar essa anulação.

    Entretanto, e por este mesmo assunto acabou por se chatear com a mãe e saiu de casa, tendo ido morar com amigos, nunca mais tendo voltado a residir em casa da mãe, apesar de ter entretanto feito as pazes com ela.

    Pelo que pude obter da minha sogra, nessa altura ela recebeu duas cartas da keyClub, as quais devolveu ao carteiro com a nota "mudou-se para parte incerta".

    e ao que parece o mês passado ou à 2 meses (não me soube precisar) recebeu mais duas cartas dirigidas à minha as quais devolveu ao carteiro com a indicação de que não residia naquela morada.

    Assim o ponto de situação é o seguinte:
    dia 7 de julho de 2004 a minha esposa foi a uma apresentação do KeyClub no "Luna Esperança Centro Hotel", em setúbal, para a qual havia sido convidada sobe a promessa de uma estadia ou viagem (já não se recorda);
    No final dessa apresentação sofreu uma grande pressão para assinar o contrato para obter um cartão KEYCLUB PRESTIGE, que acabou por assinar para que a deixassem em paz;
    passados alguns dias enviou um FAX a denunciar o contrato;
    foi-lhe dada a indicação que o contrato havia sido anulado, e deveria enviar uma carta registada para que a anulação fosse efectivada.
    entre o envio do FAX e o envio da carta registada mudou-se para a casa de amigos devido a uma grande discussão com a mãe.
    Enviou no dia 27 de Julho de 2004 uma carta registada, como o mesmo conteúdo que o FAX anteriormente enviado, a confirmar a denúncia.
    NUNCA RECEBEU QUALQUER CARTÃO;
    NUNCA PAGOU QUALQUER MENSALIDADE;
    NUNCA MAIS FOI CONTACTADA PELA KEY CLUB APESAR DESTES TEREM O CONTACTO TELEFÓNICO DELA (QUE SE MANTEVE);
    no dia 18 de Outubro de 2011 recebe uma carta de injunção a indacar que tem cerca de 6 mil euros em divida;
    no dia 19 dirigiu-se à KEYCLUB para obter toda a documentação afecta ao processo dela;
    O FAX não se encontrava no meio da documentação (extraviou-se propositadamente quer-me parecer);
    Já contactámos o gabinete de apoio ao consumidor do montijo, que tem tentado ajudar-nos dentro das suas possibilidades
    Dados estes pontos, e considerando que fomos pais à 5 meses, a nossa situação financeira acabou por se tornar um pouco mais complexa e dado que existe a possibilidade de ela ficar desempregada a médio/curto prazo... a situação é um pouco desesperante.

    Assim, peço-lhes encarecidamente o vosso conselho e recomendações.

    queremos apresentar oposição à injunção, daí precisarmos de um bom advogado de forma a garantir uma resposta incontestável.

    Moramos no Montijo, podem recomendar um advogado nessa zona, se possível que seja sensível à nossa delicada situação financeira?

    Provavelmente precisaremos de testemunhas.
    têm conhecimento de alguém que esteja ou tenha estado na situação, ou que precise também de testemunhas?

    Conhecem mais alguém que nos possa ajudar?

    Agradeço desde já toda atenção e disponibilidade que tiverem para dar a este assunto

    Luis Castanheira
    spart0@gmail.com

    ResponderEliminar
  13. o sonho comanda a vida, ehehehehehhe

    ResponderEliminar
  14. As mentiras do Key Club mutiplicam-se dia após dia.
    Devem ser recordistas no envio de INJUNÇÕES aos seus clientes!
    Assim, importa que todos aqueles que se sentem defraudados pela empresa PALME II / Key Club e que entretanto recebam uma "cartinha presente" proveniente do Balcão Nacional de Injunções que façam oposição ao Key Club, enviando as suas deduções de oposição à injunção, dentro do prazo legal, devidamente endereçadas ao Balcão Nacional de Injunções.

    João Pereira

    ResponderEliminar
  15. se é assim tao fácil porque é que já estou a ser penhorado desde Agosto? Se não andasse a perder tempo com as informações que vc's aqui poem, talvez ainda tivesse conseguido fazer um acordo. Se o KC não estivesse devidamente fundamentado não estariam ainda no mercado,... não acredito que este blogue consiga alguma coisa, pelo menos alguma coisa que faça mossa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitas pessoas têm recebido uma carta de INJUNÇÃO mas não prestam a devida atenção a essa carta, pensando tratar-se de uma "brincadeira" de mau gosto.

      Assim deixam passar o prazo legal para se oporem e depois acontece o que é dito por este Anónimo - inevitavelmente são penhorados!

      A solução não é fazer "acordos" com os palmistas, mas sim fazer OPOSIÇÃO no Tribunal competente e dentro do prazo legal.

      Eliminar
  16. Então e se é assim tão dificil, porque é que há aqui tantos realatos de gente, que quando vai a tribunal, as mandatarias nem aparecem, nos tribunais?
    E como foram repreendidas, agora retiram as queixas, 24 horas antes?...mesmo tentando até à ultima extorquir dinheiro às pessoas, como casos relatados aqui que telefonam a propor metade da divida no dia anterior ao julgamento, e no dia, mandam um oficio a desistirem!
    O que se passa na verdade, é que KC, utiliza todos os subterfugios que pode e que a lei lhe dá direito, e quando as injunções, são enviadas para moradas antigas, e não são oponidas a tempo, e passam a execução, são poucos os que tem capacidade, para depositarem, uma caução no valor da injunção e pagarem 225 eur de taxas de justiça e esperarem meses pela sentença e para reaverem a taxa de justiça...mas até esses têm ganho...
    Este blogue não faz nada, nem faz mossa nenhuma...cada um de nós é que tem e pode e deve defender-se, sendo que todos as oposições a injunções têm tido desistências por parte da KC...desmintam lá esta realidade...

    ResponderEliminar
  17. Olá a Todos!

    Importa fazer uma clara distinção entre dois tipos de casos, a saber:

    1) Processos de Injunção;
    2) Processos Executivos para Penhora.

    A grande diferença consiste em que quando se trata de um Processo Executivo para Penhora (carta do solicitador Mário Pelica) o KEY CLUB já tem em sua posse um Título Executivo, ou seja, pode avançar imediatamente com a penhora e o executado, infelizmente, somente após isso é que pode fazer a oposição à execução!

    É verdade, o KEY CLUB é uma empresa infame, totalmente desprovida de qualquer ética profissional, querem dinheiro a todo o custo! Assim, t~em sido remetidas Injunções para as Antigas Moradas dos sócios Key Club, sem aviso de recepção, e fácilmente se encontram na posse de um Título Executivo válido...
    Essa ocorr~encia, por si só, deveria suscitar dúvidas ao Agente de Execução sobre a validade do título, mas na realidade não é isso o que está a acontecer.

    Este blogue, tal como já foi referido por diversas vezes, visa partilhar informações e experi~encias, mas, é óbvio que, se quem lê as mesmagens do blogue cruza os braços e nada faz, não pode ficar à espera que os outros resolvam os seus problemas!

    Assim, fazer oposição na fase inicial de Injunção não é muito complicado.
    Todavia, fazer oposição na fase de Execução, já resulta mais complicado, em virtude de que a penhora pode ser iniciada antes da pessoa ter oportunidade de apresentar a sua defesa!
    É o "simplex" da Nova Acção Executiva...

    Os Melhores Cumprimentos,
    João Pereira

    ResponderEliminar
  18. Oh João...validos uma ova...é como eu digo...infelizmente a lei protege, este tipo de actuação, ou seja não os penaliza por fazerem o que fazem...bastava que a lei pudesse prever, que quando quem requesita uma injunção, presta falsas declarações, como tem acontecido, pois a palme alega sempre que há domicilio convencionado, quando SABE, que em muitos casos, principalmente nos contratos antes de 2001, ou por ai, mais ano, menos ano, isso é puramente falso, pois os contratos desse tempo, não têm nenhuma clausula em relação a domicilio convencionado, como os mais recentes...ora isso por si só torna o titulo executivo, NULO...e se alei prevesse, que quem prevaricasse seria imediatamente impedido, de submeter novas injunções, nada disto acontecia...o mesmo se passa com as ANUIDADES, que nada tem que ver com dividas de contratos com instituiçoes de credito como a "credibom"( estas dividas não prescrevem, apesar de tambem haver a legitima possibilidade de as contestar, principalmente, da maneira como as pessoas foram levadas a asssinar estes contratos), no entanto as anuidadas prescrevem ao fim de 5 anos se não tiverem sido cobradas de maneira eficaz(atraves de tribunais como estão a fazer agora), sendo que mais uma vez, estando eles a tentar obter pagamentos de anuidades antes de 2005, estão a tentar algo que não é possivel...os tribunais ao fim de meia duzia deste tipo de pedidos junto do BNI, deveria por um travão nesta palhaçada...agora eu pergunto...porque é que nunca pediram a cobrança das tais anuidades e dividas com contratos anteriormente à entrada de insolvencia destes senhores?...a VACA estava gorda?...e agora as MAMINHAS secaram?
    É esta hipocrisia que os tribunais não deviam permitir...estes senhores fazem o que fazem porque enquanto MASSA INSOLVENTE, NÃO PAGAM CUSTAS JUDICIAIS, como nós, nem niguem lhes pode epdir responsabilidades de prejuizos, pois se são massa falida
    É ESTE O PAÍS EM QUE VIVEMOS.

    ResponderEliminar
  19. Olá, boa tarde,
    Concordo plenamente com o seu comentário!
    Quando disse que são "válidos" referia-me aos olhos do solicitador Mário Pelica e companhia limitada... Na verdade, INJUNÇÕES enviadas para domicílios incorrectos, onde os requeridos já não residem lá há anos, deveriam ser automaticamente declarados nulos! Certamente quem simplificou os procedimentos da Acção Executiva, dispensando em muitos casos o envio da mesma por meio de carta Registada com Aviso de Recepção deveria ser um "lunático"...
    Está a acontecer que, pessoas que não receberam qualquer notificação, a primeira notificação que recebem é da sua entidade patronal a dizer que vai ser retida uma parte do seu ordenado!

    Sim, É ESTE O PAÍS EM QUE VIVEMOS.

    Cumprimentos,
    João Pereira

    ResponderEliminar
  20. Boa tarde,

    Infelizmente sou mais um que está com o mesmo processo. Só quando recebi carta na minha morada actual para penhora de vencimentos ou bens, é que soube o que se estava a passar, devem ter enviado injunção para a morada do contrato e não me chegou.

    Agora foi me avisado no ínicio deste mês pela minha entidade patronal da penhora de salário. Entretanto recebi uma nova carta de injunção para a anuidade 2010, que já estou a tratar de deduzir oposição.
    O Key club está em falta com os seus associados, pois durante alguns anos, ainda se recebi uma revista com preços e destinos, o livro de descontos. Nos últimos anos, creio que desde que a Palme II fechou, que se deixou de receber, daí o Key Club estar em quebra de contrato. Vai ser isso que vou argumentar. Infelizmente, acho que já não consigo livrar da penhora ou pagamento da dívida, mas vou fazer tudo o possível para não levarem mais nada.

    G. Pinheiro

    ResponderEliminar
  21. Boa tarde,

    Efetivamente, após o dia 15 de Setembro de 2011, a PALME II / Key Club deixou de enviar a Newsletter do Key Club que anteriormente dava notícias actualizadas sobre as actividades do Grupo Key Club!
    Neste momento não sabemos NADA DELES:
    Tão somente que estão FALIDOS e ando numa perseguição aos seus Sócios para cobraem coercivamente todos os valores dos últimos Anos!

    Apesar do solicitador de execução ir avançar imediatamente com a execução da Penhora, após a Citação dispõe, querendo, de 20 dias consecutivos para deduzir Oposição à execução / Penhora, enviando a oposição para o Tribunal cometente, pagando-se a Taxa de Justiça devida, entre os 200,00 € - 300,00 €.

    É evidente que, somente se ganhar a causa é que lhe será devolvido valor das Taxas e as quantias retiradas dos seus salários. Os honorários de um advogado/a são por nossa custa.

    Cumprimentos,
    João Pereira

    ResponderEliminar
  22. Boas,

    Realmente, depois do prejuizo que causaram, nem no tribunal aparecem.

    No tribunal não aparecem, mas já recebi nova injunção referente á anuidade de 2010-2011
    E nova actualização no valor para 97,00 anuidade de 2011-2012.

    Se calhar para a semana recebo mais uma injunção.

    Temos de arranjar maneira de todos juntos iniciarmos um processo crime por burla, contra os administradores.

    Senão acho que isto nunca mais vai parar.

    Pedir a restituição do remanescente do valor do cartão, após a insolvência.
    Se ficar provado em tribunal a burla podemos condenar a Credibom por conluio na burla. Talvez esta tenha dinheiro para nos pagar.

    È melhor comerçar a criar uma lista online dos lesados para iniciar o processo, penso que a Aida pode ter bastantes contatos.

    Talvez o blog seja uma boa opção.

    Abraço amigo ás vítimas,
    Emanuel Santiago
    emanuel.santiago@iol.pt

    ResponderEliminar
  23. Atenção.

    A distribuição de processos de injunção, aceitou o pagamento de apenas 38 Eur,para as
    custa de tribunal no meu caso o montante era de 523 Eur. Coloquei a opção com desconto electronico.
    E foi aceite, sempre se poupa algum!
    Abraço,
    Emanuel Santiago

    ResponderEliminar
  24. Montante anterior de 523Eur era da divida das anuidades.

    ResponderEliminar
  25. Olá a Todos!

    Pretendo aqui elogiar aqui o empenho e a iniciativa evidenciada pelo Emanuel Santiago, pois é disso que se precisa aqui no blogue, a fim de se passar das "palavras" à Acção!!!

    Tornou-se evidente que é necessário passar a um "outro nível" na resolução dos casos com o KEY CLUB!

    Portanto, iniciativas deste tipo, são sempre bem vindas!
    Abraço,
    João pereira

    ResponderEliminar
  26. ladroes adem pagalas bandidos,erao bem enforcados.principalmente esse tal de mario...

    ResponderEliminar
  27. Também sou da opinião do Emanuel, que tal abrir um Processo em conjunto contra a Key Club, seria excelente, gostava de ver se eles tinham "TINTINS"(para não usar uma palavra feia)para nos enfrentar a todos no Tribunal.
    P.S. Assim também ficava a conhecer as "fuças" de alguns....
    Cumprimentos
    NP

    ResponderEliminar
  28. Respostas
    1. Parece que eles têm os "TINTINS"... mas as "fuças" deles são muito feias.

      Eliminar
  29. Este anónimo gosta de visitar este blogue contra o Key Club & Associados - Sociedade de Burlões, para se manter "actualizado", porém, é um cobardolas... e NÃO DIZ NADA DE JEITO!

    Ao menos que tivesse a CORAGEM de se identificar!
    Ah!
    Seria bom que nos seus comentários apresentasse aqui algum ARGUMENTO em defesa do Key Club!
    Cumprimentos
    JP

    ResponderEliminar
  30. Oh JP, mas acha que anormais como este, sabem fazer ou dizer alguma coisa, que não seja fazer copy-paste de folhas de pasquins, ou gurgurujar uma ou outra interjeição?....náa, era muita fruta!

    Abraço

    ResponderEliminar
  31. OK!
    Vamos ver se conseguimos, de uma vez por todas, espantar "este abelhão cabeçudo" deste Blogue...
    Eh, Eh, Eh!!!

    Abraço,
    JP

    ResponderEliminar