sexta-feira, 19 de outubro de 2012

KEY CLUB - Reclamação - Sócio Key Club - Prestige



RECLAMAÇÃO




Venho pelo presente apresentar a seguinte Reclamação:
 
No dia 17-06-2005, fui contactado telefonicamente, tendo sido informado que teria ganho uma estadia de 3 noites no Algarve, Ilhas Canárias ou Rio de Janeiro. Para tal, teria apenas de me deslocar a um determinado Hotel, a fim de levantar o meu prémio.
Feliz por ter sido contemplado, fui levantar o meu prémio ao Hotel indicado. Para minha surpresa, deparei-me com uma secção de vendas de cartões de férias, que através de uma postura agressiva, assente no cansaço induzido nas pessoas e pelas ofertas muito aliciantes de preços muito baixos em estadias em locais paradisíacos.
Fui informado que para ter direito ao vale de oferta, teria de assinar um “contrato”, que consistia na aquisição de um “cartão de descontos”, no entanto, era apenas uma mera formalidade para ter direito ao vale, uma vez que poderia anular o tal “contrato” logo após gozar da minha oferta.
Passado alguns dias, recebo correspondência de uma empresa denominada “CREDIBOM”, da qual nunca tinha ouvido falar, com um plano de pagamentos de 48 prestações mensais. Fiquei estupefacto, e tentei de imediato contactar a KEY CLUB, que me informou, para meu espanto, que não podia anular o tal “contrato”, uma vez que já tinham passado os 14 dias para este efeito, contrariamente à informação que me fora transmitida aquando da aquisição.
Tentei por diversas vezes falar com alguém da KEY CLUB para tenta desfazer este mal entendido, tendo obtido sempre a mesma resposta: tinha de pagar o cartão “Key Club” de acordo com o Plano de Pagamentos. Inclusive, até expliquei a situação por escrito, solicitando a anulação do Contrato, tendo obtido resposta igualmente por escrito a negar o meu pedido.
Conformado com a situação, acabei por pagar na íntegra o tal “cartão”, na esperança de um dia ver o meu investimento recompensado através de bons descontos em férias.

*****

A partir de determinada altura (a partir de 2008), sem receber qualquer justificação para tal, deixei de receber catálogos, promoções ou qualquer folheto promocional da KEY CLUB.
No entanto, certo dia recebo uma carta a comunicar que estava a pagamento a anuidade do “cartão”. Uma vez que esta empresa não estava a prestar-me qualquer tipo de serviço, considerei que não havia nada a pagar da minha parte, uma vez que, repito, esta empresa deixou de prestar qualquer tipo de informação, a que se tinha comprometido.
Comecei a receber via telemóvel, SMS (?!) ameaçando que me penhoravam os bens se não pagasse, no prazo de 48 horas, as anuidades em atraso.

Mais recentemente, recebi uma carta de um Solicitador de Execução, ameaçando que caso não liquidasse as anuidades em falta, no prazo de 15 dias, teria os bens penhorados.
 Ora, como pode esta Empresa ameaçar com penhora de bens, por falta de pagamento de anuidades, quando foi ela que deixou de cumprir com as suas obrigações contratuais?
Como se não chegassem os contornos duvidosos em que me foi impingido o tal “Contrato”, ainda tenho de pagar “anuidades” por um serviço que não existe?
Contesto qualquer divida invocada pela KEY CLUB, e solicito de imediato a anulação do “Contrato”.
B.S.
Sócio "Key Club Prestige"
______________________________________________________________________