sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

KEY CLUB - Testemunho Contra "Key Club"


Sócio Key Club
PREMIUM

__________________________________________________

O primeiro contato que tive com o "KEY CLUB", representado pela PALME II, S.A., teve lugar no dia 12 de Junho de 2006, numa sala de reuniões do HOTEL TRYP COLINA DO CASTELO, situado na cidade de Castelo Branco.

Na sequência de uma chamada telefónica que recebi, informando-me que para receber um Prémio totalmente Grátis bastaria deslocar-me ao Hotel Tryp para proceder ao seu levantamento, dirigi-me ao referido Hotel . Fui recebido pelo Sr. Vagner Nunes, promotor da marca "KEY CLUB". Para me persuadir a aderir àquilo que conhecemos como "Key Club", fez-me a promessa de que a PALME II iria abrir, em 2006 ou no inicio do ano de 2007, uma Agência própria do "KEY CLUB" na cidade de Castelo Branco.  

Garantiu-me que se em alguma ocasião pretendesse desvincular-me do contrato com a  Palme II,  por qualquer motivo, bastaria telefonar para o "Key Club" a expressar a minha vontade nesse sentido e que eles me cobrariam apenas uma percentagem de 20% do valor do Cartão Key Club, mas que de modo algum perderia todo o dinheiro investido, ou seja, o valor remanescente do preço pago pelo Cartão Key Club (P.V.P.: 4.641,00 €) seria restituído, acrescido de juros vencidos!

No dia 26 de Junho de 2011, entrou em cena a Credibom - Instituição Financeira de Crédito, S.A., a qual, para minha surpresa, enviou-me uma carta com um "Plano de Pagamentos" das prestações do Cartão Key Club. Nesse momento vislumbrei que algo de errado se passava.

Todavia, como já tinham passado os 14 dias, nos quais era permitido fazer a denúncia do Contrato, consciente do enredo em que tinha caído, decidi assumir «O ENGANO» e pagar as prestações, segundo o Plano que a Credibom me enviara.

Durante as 3 horas de "explicações" dadas pelo Sr. Vagner Nunes, promotor do "KEY CLUB", o mesmo não fez qualquer referência ao facto de, naquele momento, eu iria celebrar dois Contratos: um com a PALME II, S.A. e o outro com a CREDIBOM (Contrato de Crédito). Foi acordada a forma de pagamento do Cartão "Key Club", em diversas prestações mensais, mas como se fosse um pagamento direto ao "KEY CLUB", a qual me concedia a possibilidade de pagar o cartão em prestações.

Parece ser evidente a “cumplicidade” que existia entre a CREDIBOM e a PALME II, S.A., porque, somente no último dia do prazo dos 14 dias, em que era permitido fazer a denúncia do Contrato, é que a CREDIBOM me enviou o "Plano de Pagamentos", sabendo muito bem que, nesse momento, já seria muito dificil denunciar o Contrato celebrado com a PALME II, S.A.. Se não existiu cumplicidade, então terá sido uma grande coincidência.
_____________________________

Passou o ano de 2007, durante o qual a Palme II, S.A. foi enviando folhetos e outros documentos, mas, sucedeu que em Setembro de 2008 a PALME II, S.A. foi declarada insolvente.

Após isso, assistiu-se a um "estranho silêncio" por parte da PALME II, S.A.. Deixei de receber correspondência periódica acerca das actividades da empresa Palme II, S.A.. Nesse contexto, deixei de pagar os valores das anuidade”, o que fazia anualmente após receber uma carta-aviso remetida pela Palme II, S.A. nos meses de Novembro. Porém, não me foi enviado qualquer recibo emitido pela Palme II, S.A. referente aos pagamentos que efectuei.

Sucedeu que, no mês de Dezembro de 2010, após receber vários SMS da parte do "KEY CLUB", com diversas intimidações, efectuei o pagamento da anuidade referente ao período de 2010/2011, no valor de 78,50 €. Todavia, após isso, o único que recebi do "KEY CLUB" foi simplesmente um Catálogo da D-Mail e um folheto promocional para Séniores.

Solicitei à PALME II, S.A. que me enviasse o RECIBO referente à liquidação da anuidade de 2010. Não foi emitido o recibo que eu solicitei, mas, em vez disso enviaram-me uma "DECLARAÇÃO" emitida em nome de "MASSA INSOLVENTE DE PALME II, S.A." declarando que tinha sido liquidada "a dívida existente" e que, dessa data em diante, não subsistia qualquer vínculo contratual entre as partes (Palme II, S.A. / João Pereira, Sócio Key Club Premium n.º 52571).

Mas, uma vez mais, isso não era verdade! 
Passados 5 MESES, o Departamento de Gestão de Clientes do "KEY CLUB" veio dizer que a "DECLARAÇÃO" que me tinha sido enviada não era válida porque não estava assinada por eles, e que me tinha sido entregue “por engano”.

Todavia, apesar de reconhecerem "o engano" não foi expresso pela Administração da PALME II, S.A. qualquer pedido de desculpas. Geralmente, quando uma empresa se engana, expressa um pedido de desculpas ao Cliente, disponibilizando-se a fazer a reparação dos danos causados!

Apesar dos meus diversos pedidos, não me remeteram as Publicações do Key Club, nomeadamente o "Guia de Hotéis" ou o "Manual de Descontos".

Até manifestaram alguma "surpresa" por eu os solicitar!

De que me serviu pagar a anuidade no valor de 78,50 €?

Que proveito tive? Ter recebido, via postal, o Catálogo da D-Mail o qual é anexo, de forma Grátis, em várias revistas vendidas nos quiosques?

Somente fiquei isento de receber uma Injunção durante um ano. Foi esse o único "provceito"!

Parece que, agora, a preocupação de muitos Sócios Key Club em pagar as anuidades seja simplesmente para evitar receber uma Injunção e não, como deveria ser, para receber uma Prestação de Serviços.



________________________________________


No dia 7 de Fevereiro de 2011, notifiquei a PALME II, S.A., mediante carta registada com aviso de recepção, da minha alteração de morada.
Mas, a PALME II, S.A. somente no dia 15 de Junho de 2011 é que procedeu à retificação da minha morada, verificando-se uma demora de 4 MESES em proceder à atualização da minha NOVA MORADA.
 

Sucedeu ainda que, no dia 16 de Junho de 2011, solicitei à PALME II, S.A. a emissão de um novo Cartão Key Club "Premium", tendo procedido ao pagamento prévio do valor de 5,00 €. O meu pedido, mediante carta registada com aviso de recepção, foi recebido pela Sr.ª Lisandra Pais (KC), no dia 17 de Junho de 2011. O Departamento de Clientes do KEY CLUB confirmou que tinha sido registado o meu pedido, mas passaram 3 MESES até receber da PALME II o Cartão Key Club.

Mas, tendo recebido o Cartão Key Club, constatei que, para minha surpresa, no mesmo constava  a ANTIGA MORADA da PALME II, S.A. e não, como deveria, a NOVA MORADA do KEY CLUB.

Será isto eficiência? Esperei 3 MESES pela emissão de um novo cartão.
Parece-me que o deferimento da Palme II para com os Sócios consiste nisto: diz muita coisa, promete muito, mas depois, chegada a hora da verdade é achada em falta. Esta é a minha opinião. A opinião de um Sócio insatisfeito e muito desiludido com o KEY CLUB!

_______________________________________________________________________

Em 27 de Julho de 2012, solicitei à PALME II, S.A. que me enviasse as FACTURAS-RECIBOS referentes à liquidação das anuidades.
Não me tendo sido enviada a documentação solicitada, no dia 17 de Outubro de 2012 voltei a solicitar à PALME II que me enviasse os documentos comprovativos do pagamento das anuidades e do preço do Cartão Key Club "Premium".
Todavia, somente no dia 19 de Novembro de 2012 é que a PALME II me enviou a documentação solicitada (à excepção da cópia do recibo referente à liquidação do P.V.P. do Cartão "Key Club").
PALME II, S.A. demorou 6 MESES até me enviar a documentação solicitada.
 

 
____________________________

PALME II, S.A.  deveria enviar aos Sócios um Inquérito de Satisfação dos Clientes, para analisar o resultado e aferir qual é o nível de satisfação dos Sócios.

PALME II, S.A. tem conhecimento da grande insatisfação e do afastamento de centenas de Sócios Key Club, mas parece não querer reconhecê-lo publicamente.

Se os Sócios Key Club não estivessem "presos" por CONTRATOS de 15 ANOS, há muito tempo que muitos deles tinham deixado de ser Associados Key Club!

É lamentável ver que a fidelização de um Sócio seja feita através do facto de ele ter ficado cativo pela assinatura dum contrato, em vez de, como deveria ser, pela plena satisfação desse Sócio relativamente à qualidade e ao preço dos serviços prestados.

Expressei livremente a minha opinião, evidenciando o meu grande descontentamento com os serviços atualmente "disponibilizados" pelo KEY CLUB.
Gostaria que a situação fosse diferente, mas, infelizmente, esta é a realidade presente!

 Este é o meu testemunho da triste experiência que tenho com o "KEY CLUB".



______________________________________________________________________

"Não dispomos de Guia de Hotéis,

a única situação é que

quando o Cliente pretende algum orçamento

o mesmo é feito com o respectivo desconto

para Sócios."



Andreia Henriques

Depto. Gestão Clientes - KEY CLUB

______________________________________________________________________



22 comentários:

  1. QUEM ESTÁ EM POSIÇÃO DE FAZER EXIGÊNCIAS?

    A PALME II EM INSOLVÊNCIA
    OU
    O SÓCIO KEY CLUB QUE INVESTIU LÁ O SEU DINHEIRO?

    ResponderEliminar
  2. Segundo a Palme II, cerca de 3.000 Sócios do KEY CLUB deixaram de pagar as anuidades.

    Apesar disso, o Administrador de insolvência diz que
    os Sócios sempre estiveram MUITO SATISFEITOS
    com os serviços prestados pela Palme II.

    Se os Sócios estavam satisfeitos com os serviços,
    porque motivo deixaram de pagar as anuidades?

    ResponderEliminar
  3. Tribunal Judicial de Cuba
    Secção Única
    Largo Cristovão Colon - 7940-171 Cuba
    Telef: 284 090 100 Fax: 284 090 119 Mail: cuba.tc@tribunais.org.pt
    Proc.Nº 259932/11.0YIPRT
    615573
    CONCLUSÃO - 07-12-2012
    (Termo eletrónico elaborado por Escrivão de Direito Ana Maria N. Sota C. Ildefonso)
    =CLS=
    SENTENÇA
    Massa Insolvente de palme II – Comercialização de Cartões de Desconto, SA, NIF: 503364908, com sede no Campo Grande, nº 28, 3º C, Lisboa veio propor injunção contra “ Bruno Pisco ”, que deduziu oposição, tendo a mesma se transmutado em acção especial para cumprimento de obrigações pecuniárias.
    A Autora vem pedir a condenação da Ré no pagamento da quantia de € 121,56 ( cento e vinte e um euros e cinquenta e seis cêntimos) correspondente à quantia em dívida a título de capital, penalização devida, acrescida de juros de mora vencidos e vincendos até integral pagamento…
    V - Decisão
    Nestes termos e pelo exposto, julgo a presente acção procedente e, em consequência, condeno o réu Bruno Ricardo dos Santos Pisco a pagar à autora Massa Insolvente de Palme II – Comercialização de Cartões de Desconto, SA a quantia de € 118,80 (cento e dezoito euros e oitenta cêntimos), acrescida de juros de mora, vencidos e vincendos, à taxa legal desde a data de vencimento
    da anuidade de Novembro de 2010 até efectivo e integral pagamento. Mais, absolvo o Réu da condenação como litigante de má fé.*
    Custas a cargo do réu – artigo 446.º, n.ºs 1 e 2 de Cód. Proc. Civil. Registe e notifique.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. TRIBUNAL DO COMÉRCIO DE LISBOA
      - Conclusão: 05-09-2008

      "Resulta evidente que
      a PALME II se encontra impossibilitada de cumprir
      as suas obrigações vencidas
      e que, de facto, não as vem cumprindo,
      situação irreversível dado que há CINCO ANOS que
      a Sociedade não exerce qualquer actividade."

      Eliminar
    2. É preciso fazer chegar a todos os tribunais a declaração de insolvência e respetivo plano da PalmeII. Facilmente perceberão que se está perante uma burla incomensurável.

      Eliminar
  4. PALME II - COMERCIALIZAÇÃO DE CARTÕES DE DESCONTO, S.A.
    Pessoa Colectiva n.º 503364908

    Apresentou-se à insolvência, alegando encontrar-se impossibilitada de cumprir as suas obrigações vencidas.

    Fundamentou-se no facto de se debater
    com dificuldades económicas desde 2006,
    dificuldades essas relacionadas com:

    - Redução do número de vendas;

    - Indemnizações a funcionários por rescisão de contratos;

    - Acumular de rescisões de Contratos;

    - A Crise Económica;

    - Corte de financiamento por parte das Entidades Financeiras;


    TODOS ESTES FACTORES
    levaram a um acumular do passivo
    que ascende a € 3.961.265,45.

    (TCL - 2008-09-05)

    ResponderEliminar
  5. Existem vários acordos ganhos pelos ex sócios em Tribunal,contra a Palme. Estes ex sócios tinham contratos com a Palme e não com a Palme II.
    Não se deixem iludir, não façam mais acordos com esses bu..ões.
    Eles sabem que em Tribunal perdem, por isso tentam um acordo com um valor baixo, pois assim é sempre algum dinheiro que ganham.
    Se quiserem dar dinheiro, façam doações a instituições de solariedade e não a gat..os.
    Se necessitarem de ajuda mandem mesnsagem para o email supra citado neste blog.
    Temos casos reais já plenamente resolvidos e que podem ficar seguros que a lei está do vosso lado.
    Sugiro que adoptem o lema "NEM MAIS UM CÊNTIMO PARA A GATUNAGEM".

    ResponderEliminar
  6. TRIBUNAL DO COMÉRCIO DE LISBOA

    *****

    "Entende a PALME II ser possível a sua viabilização
    com uma moratória no pagamento das suas dívidas,
    recuperação essa que depende da recuperação
    da sociedade PALME VIAGENS E TURISMO, S.A.,
    empresa do mesmo Grupo e que na mesma data se apresentou
    à insolvência."



    - DÍVIDAS DA PALME II - € 3.961.265,45

    ResponderEliminar
  7. TRIBUNAL DO COMÉRCIO DE LISBOA

    *****

    "A PALME II encontra se impossibilitada de cumprir
    as suas obrigações vencidas
    e, de facto, não as vem cumprindo,situação irreversível
    dado que há CINCO ANOS que a Sociedade
    não exerce qualquer actividade."

    ResponderEliminar
  8. J Cabral Paiva, Advogado * Escritório

    Av. Embaixador Dr. Augusto Castro, 11 - 3.º Dt.º

    2780-200 OEIRAS



    Conselho Distrital: LISBOA

    Comarca: Oeiras



    E-Mail OA: jcabralpaiva-584l@adv.oa.pt

    Telefone: 210 400 480 ; 214 424 445

    PESQUISA DE ADVOGADOS

    Conselho Distrital: Lisboa
    Comarca: Oeiras

    ResponderEliminar
  9. Informamos que o Sr. António Esteves acaba de ser pronunciado pelo tribunal criminal de Lisboa para ser julgado pelo crime de difamação contra a Palme SA. Recordamos que, caso venha a ser condenado, como se espera, o Sr. Esteves arrisca-se a ser condenado ao pagamento de uma indemnização fixada em € 255.000,00.
    Talvez o exemplo deste julgamento traga bom senso a todos aqueles que, neste blogue e noutros fóruns, acham que podem, impunemente, atentar contra o bom-nome de empresas e pessoas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DIAP - DEPARTAMENTO DE INVESTIGAÇÃO E ACÇÃO PENAL

      "Nos termos do n.º 2, do art. 283.º. do Código de Processo Penal, o Ministério Público indica que não foram recolhidos indícios da verificação do crime."

      Eliminar
  10. O Grupo Key Club:

    - A Palme S.G.P.S foi liquidada!

    - A Palme Hotéis cessou a atividade!

    - A Palme Viagens encontra-se totalmente insolvente!

    - A Palme II encontra-se em insolvência há 5 Anos!


    ONDE ESTÁ A BOA FAMA NESTAS SITUAÇÕES?

    ResponderEliminar

  11. Segundo foi anunciado, a recuperação da sociedade PALME II depende da recuperação da PALME - VIAGENS E TURISMO, S.A..

    Mas, se a PALME - VIAGENS E TURISMO, S.A. tem 0 empregados, vai recuperar de que modo?

    Ora, se a recuperação da PALME II, S.A. depende diretamente da recuperação da PALME VIAGENS E TURISMO, S.A., mas, se não existe qualquer Plano de Recuperação para esta "PALME", forçosamente teremos que concluir que a recuperação da PALME II encontra-se gravemente comprometida e que eventualmente tudo isto não passa de uma GRANDE FARSA!

    ONDE ESTÁ O NOSSO DINHEIRO?

    ResponderEliminar
  12. HALCON VIAGENS E TURISMO - Sociedade Unipessoal, Lda.

    - Deu entrada uma Acção Judicial

    - Data: 18-10-2012

    ResponderEliminar
  13. tambem estou nessa situaçao, querem que pague a anuidade, mas acho que nao devo pagar pois deixaram de mandar publicidade ou guias de hoteis para casa. que devo fazer?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querendo, deverá denunciar o contrato mediante o envio de carta registada com aviso de recepção, devolvendo todos os cartões key club e mencionando as várias situações de incumprimento contratual.

      Sugestão: dê um prazo de 8 (oito) dias para, querendo, apresentarem a constestação.

      Eliminar
  14. Ângela Frota, advogada
    R Gen Humberto Delgado, 413 - 1º Esq
    3030-327 COIMBRA

    E-Mail: angela.frota-3986@adv.oa.pt

    Telefone: 239 781 847
    Telemóvel: 914 201 453

    ResponderEliminar
  15. O que é feito do Grupo Palme?

    O que aconteceu às várias empresas "PALME"?

    O que aconteceu à Agência de Viagens - KEY CLUB Travel?

    QUEM envia aos Sócios Informação Periódica?
    - A Palme II ou as Empresas Parceiras?

    Primeiramente, os técnicos da Palme II diziam que
    quem enviava INFORMAÇÃO PERIÓDICA aos Sócios Key Club
    eram as Empresas Parceiras.

    Agora, tendo sido "descoberto" que as Empresas Parceiras
    não enviam folhetos, guias ou qualquer outro tipo de publicação periódica aos Sócios do KEY CLUB, parece que a exlicação sobre o cumprimento desta obrigação mudou.

    MUDAM-SE OS VENTOS, MUDAM-SE AS VONTADES!

    ResponderEliminar
  16. A PALME II comprometeu-se a enviar, nos termos contratuais,
    "Informação Periódica ao Titular do Cartão "KEY CLUB"
    da atividade social da Empresa"
    (Cláusula 2.2.3.2. - Contrato de Associação - Cartão KCP)

    Mas, especialmente após a situação de insolvência,
    a PALME II deixou de enviar a newsletter KEY CLUB NEWS,
    bem como as restantes Publicações Periódicas do KEY CLUB.

    Assim sendo, de que modo a PALME II cumpre as suas obrigações de prestar informação aos seus SÓCIOS
    àcerca da atividade social da Empresa?

    A PALME II cancelou a KEY CLUB News, após a insolvência.

    PORQUÊ?

    ResponderEliminar
  17. Boa Tarde,

    Agradeço a que puder um esclarecimento, fiz contrato com a key club à 19 anos, no ano seguinte deixei de pagar as prestações.
    Neste momento querem me penhorar ordenado para pagamento das mesmas.
    Este contrato não está já prescrito?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BOA TARDE,

      Se celebrou contrato com a "KEY CLUB" há 19 anos, certamente que esse contrato não foi celebrado com a empresa que agora tem a pretensão de penhorar o seu ordenado, visto que a Palme II foi constituida em 1999.

      Certamente celebrou contrato com outra empresa, portanto, a MASSA INSOLVENTE DA PALME II não tem legitimidade para cobrar uma "dívida" que não lhe diz respeito.

      Eliminar